sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Mosteiro de São João - o mosteiro das Monjas Beneditinas em Campos do Jordão

Em janeiro, em uma viagem que fiz à Campos do Jordão, descobri um lugar MARAVILHOSO e tive a feliz oportunidade de conhecê-lo. É o Mosteiro de São João, ou Mosteiro das Monjas Beneditinas. Localizado no bairro Abernéssia (cujo nome origina-se das cidades escocesas Aberdeen e Inverness), o mosteiro é um lugar de paz e tranquilidade. 

Mosteiro de São João. Foto: divulgação site "Acontece em Campos do Jordão"

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Canto Gregoriano no Mosteiro de São Bento (e fora dele)

Hoje a postagem vai ser uma dica super legal de uma atividade que, embora não seja muito comum por aqui e nem muito popular, é beeeem antiga e, na minha opinião, uma das mais belas formas de arte. Estava eu andando no centro de São Paulo à caminho do Mosteiro de São Bento, quando me deparei com um cartaz informativo (me perdoem a qualidade da foto): 




quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Art Renewal Center - a galeria/museu online com um acervo incrível para todos os gostos

Oi gente!

Hoje vou indicar um site muuuito legal para quem gosta de pinturas antigas. Eu sempre amei esse tipo de arte, e há uns anos eu descobri o Art Renewal Center, uma galeria de arte/museu online que contém um acervo enorme com as mais belas obras.

William-Adolphe Bouguereau, Nymphs and Satyr, 1873

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Vila Maria Zelia - a centenária vila industrial do Belenzinho

Hoje vou mostrar pra vocês um lugarzinho incrível que fica na zona leste de São Paulo. É a Vila Maria Zélia, uma vila operária fundada em 1917 que ainda mantém grande parte de sua arquitetura antiga. Além de ter se tornado um patrimônio tombado, a vila também abriga grupos de teatro e conta com apresentações artístico/culturais durante todo o ano, além de diversos eventos.

A vila fica localizada no bairro do Belenzinho, perto do AME Maria Zélia e da Avenida Celso Garcia/Brás. É um local super escondido, mas acessível para quem vai de carro ou transporte público. Eu particularmente gosto muito de conhecer e visitar lugares antigos, tanto pela bagagem histórico/cultural, tanto por gosto pessoal por arquiteturas de outras épocas, então essa vila foi uma feliz descoberta.

antigo armazém. Foto: VejaSP

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Banhos com ervas: o que é e como fazer

Hoje vou contar um pouco sobre como utilizar as ervas para banhos energéticos. Os banhos com ervas servem para retirar de nosso campo energético todo tipo de miasma, larva astral e energias negativas de qualquer tipo que porventura tenham grudado em nossa aura. Infelizmente estamos sujeitos a carregarmos conosco uma carga energética muito grande, vinda de todos os lados, seja em nossa casa, no trabalho ou em qualquer outro local. Eu vejo essas energias densas como flechas invisíveis que nos atacam o tempo todo. Os banhos energéticos não só banem essas energias densas, como nos protege e deixa nosso campo energético mais fortalecido contra esses tipos de ataques. 



Há várias maneiras de fazer os banhos, bem como formas de tomá-los. Algumas ervas, que são chamadas ervas quentes, como arruda e guiné, por exemplo, não são recomendadas para banhos da cabeça para baixo, somente do pescoço para baixo, pois esse tipo de erva quente pode ferir nosso chakra coronário, que fica no alto da cabeça. 

Os banhos podem ser feitos para qualquer fim, mas lembre-se de que como são banhos energéticos, é aconselhável que eles sejam rezados antes. Não precisa ser nada específico, mas enquanto você tiver preparando seu banho, se concentre, mentalize, tenha atenção plena, peça o que você precisa (a finalidade do banho) e agradeça pela oportunidade. Lembre-se que você está trabalhando com energias. 

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Introdução ao Herbarium: a magia das ervas

Hoje começo um novo assunto que há tempos tenho vontade de escrever: ervas e suas propriedades mágicas. Quando pensamos em ervas no sentido religioso, logo nos lembramos de nossas avós e benzedeiras, que sempre tinham um galhinho de arruda para alguma reza. Eu me lembro de que quando era pequena sempre ia em benzedeiras porque minha mãe me levava, mas não entendia o sentido real daquilo: bater ervas sussurrando palavras. 

As ervas sempre foram utilizadas por povos antigos (em sua grande maioria, os pagãos), e seu uso vai muito além de um costume que foi passado de geração em geração por nossas avós. Os povos celtas, por exemplo,  tinham o costume de usar ervas para diversos fins (costume que foi depois condenado com a chegada do cristianismo, como bruxaria), e é por isso que muitas religiões neopagãs ainda trabalham com as ervas em rituais, banhos, defumações, etc. As chamadas "bruxas" na época da Inquisição eram apenas mulheres que também possuíam conhecimentos medicinais quanto ao uso das ervas, coisa que era considerada uma heresia porque tirava, de certa forma, o poder da Igreja, já que era inaceitável formas de cura que não viessem diretamente de Deus (como se as ervas pudessem existir sem uma mãozinha divina). Algumas religiões afro-brasileiras, como a Umbanda, também utiliza as ervas em seus ritos. O Xamanismo também é muito famoso por utilizar ervas, muitas vezes como forma de expansão da mente para atingir níveis mais elevados de consciência. 




sexta-feira, 26 de julho de 2019

Resenha livro "Os Dragões de Titânia - A Batalha de Argos"

"Piratas, armaduras amaldiçoadas, magia negra, elfos malignos e tiranos ensandecidos. Esta é uma história que começa nessa ilha de preconceitos cercada de hostilidades por todos os lados, onde pessoas comuns resolvem pegar em espadas e arcos para combater um governo ditador. 'Existe o dia de planejar e o dia de lutar', alguém lhes disse certa vez... E existe o dia de vencer e o dia de perder. Falando nisso, você sabe que dia é hoje?"

Hoje vou contar um pouco sobre um livro que li e gostei bastante: "Os Dragões de Titânia - A Batalha de Argos". Escrito pelo cartunista, editor e escritor carioca Renato Rodrigues, "A Batalha de Argos" é o primeiro livro da série " Os Dragões de Titânia", que atualmente já conta com cinco volumes.

Conheci Renato através da também escritora (que com certeza já mencionei em posts passados porque sou muito fã), Eddie Van Feu. Os dois são casados há muitos anos e, junto com alguns amigos, fundaram a Editora Linhas Tortas, sendo a série "Os Dragões de Titânia" e outros títulos publicados através dessa editora. 

Com 246 paginas, o livro nos transporta direto para um universo de fantasia medieval, magia e aventura, onde é possível conhecer muitos personagens e lugares. 




quarta-feira, 17 de julho de 2019

Instituto histórico e geográfico de São Vicente

Alô caiçaras!! Hoje a indicação de um local cultural super bacana vai pra vocês!! (mentira, a indicação vale para qualquer um porque é um lugar muuuuito legal).

Hoje vou falar um pouco sobre o Instituto histórico e geográfico de São Vicente (IHGSV) , um local que guarda um acervo incrível da história da cidade. Descobri o Instituto no começo desse ano, quando fui à praia. Eu tenho uma mania de sempre procurar locais artísticos/culturais quando vou viajar, porque conhecimento é sempre bom, e foi por esse motivo que descobri o Instituto e quero contar sobre ele pra vocês. Localizado no centro da cidade litorânea de São Vicente, próximo à praia do Gonzaguinha (popular "praia da Biquinha"), o casarão se destaca no local pela grandiosidade e por sua arquitetura. 

frente e entrada do Instituto. Foto: Jornal da Orla

quinta-feira, 11 de julho de 2019

John William Waterhouse e suas pinturas pré-rafaelitas

Se você ama pinturas do estilo pré-rafaelita, ou pinturas que retratem o período medieval em geral, com certeza já viu alguma pintura de John William Waterhouse, mesmo sem saber que era de sua autoria. Já faz um tempo que eu sou apaixonada por suas obras. Quase todas retratam mulheres e paisagens inspiradoras pra mim. 

Miranda, the tempest. 1910

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Solar da Marquesa de Santos

Oi gente! 

Não sei se vocês sabem, mas eu sou apaixonada por museus e lugares antigos. Por conta disso, estou sempre visitando vários desses lugares. E hoje eu vim indicar um museu super legal para conhecer aqui em SP, o Solar da Marquesa de Santos. Como o próprio nome diz, esse museu é dedicado à Domitila de Castro Canto e Mello (a famosa amante de Dom Pedro I), e contém muita coisa legal em seu acervo. 

Fachada do casarão. Foto: Trip Advisor

terça-feira, 25 de junho de 2019

Rei Arthur - A lenda da espada

Ontem assisti um filme muito bacana de 2017 e resolvi escrever sobre. Na verdade, pesquisando um pouco depois, vi que ele não foi tão aclamado pela crítica e nem teve boa bilheteria. O filme é Rei Arthur - A lenda da espada. Dirigido por Guy Ritchie, o filme conta a história da ascensão de Arthur ao trono de uma forma diferente da história original. Cheio de efeitos especiais e uma ambientação que não me remeteu tanto ao medievalismo assim, o filme passeia por efeitos tecnológicos demais.



O longa foi planejado para se tornar uma franquia, mas como arrecadou menos do esperado, os produtores desistiram. O plano da Warner Bros era criar um filme para cada cavaleiro da Távola Redonda, mas parece que não deu muito certo...

sábado, 9 de março de 2019

Resenha "The Last Kingdom"

Hoje vou falar um pouco sobre uma série que assisti e gostei muito: The Last Kingdom. É de praxe eu postar séries com temáticas medievais e/ou históricas, portanto essa não foge ao tema. The Last Kingdom é uma série que está atualmente em alta devido à temática Viking, tornando-se aos poucos conhecida por aqui.



A série é uma adaptação do livro “Crônicas Saxônicas”, de Bernard Cornwell, estreando em 2015 pela BBC. Li algumas resenhas sobre o livro e, segundo quem leu, a série foi muito bem adaptada.

A historia se passa em 872, onde Uhtred de Bebbanburg (Alexander Dreymon), o protagonista da série, busca retomar as terras de Bebbanburg, do qual ele é herdeiro e que são suas por direito, de seu tio, que assumiu o controle do local quando Uhtred foi raptado e ficou sob a guarda de invasores Vikings, ainda pequeno. Criado desde então por uma família Viking, Uhtred aos poucos foi deixando sua parte saxã de lado, tornando-se um incrível e temido guerreiro.


terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Passado e presente se misturam em uma viagem pela Cripta da Catedral da Sé

A Catedral da Sé, muito conhecida por ser um patrimônio histórico e cultural de São Paulo é, sem sombra de dúvida, um dos monumentos mais lindos para se visitar e um dos que mais chamam atenção na cidade. É raro alguém caminhar pela Praça da Sé e não se deparar (ou se encantar) com seu visual arquitetônico. E não é a toa. Com decorações de animais, sinos holandeses e estátuas italianas, não é difícil imaginar o porquê de tanta grandiosidade. O órgão da Catedral, muito famoso por ser tocado nas missas, foi fabricado em Milão, na Itália, pela empresa Balbiani Vegezzi Bossi, e é considerado o maior da América do Sul.

Localizada sobre o Marco Zero da cidade, a Catedral está entre os cinco maiores templos de estilo Neo-Gótico (originado na Inglaterra no século XVIII e que busca recriar a arquitetura de tempos passados) do mundo. Para mim, a Catedral é um dos locais que eu mais gosto em São Paulo (me sinto o próprio Robert Langdon no filme 'O Código da Vinci' toda vez que entro nela hehehe), talvez por eu gostar muito desse tipo de arquitetura. Quando visitamos a Catedral, ganhamos um folheto explicativo onde é possível ler uma descrição perfeita de catedrais em estilo Neo-Gótico:

"As catedrais são altas e imponentes. Suas torres pontiagudas se erguem como se fossem atingir as nuvens, induzindo os fiéis a olharem para o alto. A arquitetura segue embasada em um forte simbolismo teológico: as paredes como a base espiritual da igreja, suas pilastras simbolizam os santos e os grandes vitrais fazem a luz entrar em múltiplas cores para representar a presença divina". 

Tá explicado o porquê de tanta grandiosidade. É proposital.

A cripta da Catedral

Por trás de todo o esplendor da Catedral, existe um local ainda mais surpreendente que poucas pessoas conhecem: A Cripta da Catedral da Sé. Mas o que são Criptas?