sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Mosteiro de São João - o mosteiro das Monjas Beneditinas em Campos do Jordão

Em janeiro, em uma viagem que fiz à Campos do Jordão, descobri um lugar MARAVILHOSO e tive a feliz oportunidade de conhecê-lo. É o Mosteiro de São João, ou Mosteiro das Monjas Beneditinas. Localizado no bairro Abernéssia (cujo nome origina-se das cidades escocesas Aberdeen e Inverness), o mosteiro é um lugar de paz e tranquilidade. 

Mosteiro de São João. Foto: divulgação site "Acontece em Campos do Jordão"

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Canto Gregoriano no Mosteiro de São Bento (e fora dele)

Hoje a postagem vai ser uma dica super legal de uma atividade que, embora não seja muito comum por aqui e nem muito popular, é beeeem antiga e, na minha opinião, uma das mais belas formas de arte. Estava eu andando no centro de São Paulo à caminho do Mosteiro de São Bento, quando me deparei com um cartaz informativo (me perdoem a qualidade da foto): 




quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Art Renewal Center - a galeria/museu online com um acervo incrível para todos os gostos

Oi gente!

Hoje vou indicar um site muuuito legal para quem gosta de pinturas antigas. Eu sempre amei esse tipo de arte, e há uns anos eu descobri o Art Renewal Center, uma galeria de arte/museu online que contém um acervo enorme com as mais belas obras.

William-Adolphe Bouguereau, Nymphs and Satyr, 1873

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Vila Maria Zelia - a centenária vila industrial do Belenzinho

Hoje vou mostrar pra vocês um lugarzinho incrível que fica na zona leste de São Paulo. É a Vila Maria Zélia, uma vila operária fundada em 1917 que ainda mantém grande parte de sua arquitetura antiga. Além de ter se tornado um patrimônio tombado, a vila também abriga grupos de teatro e conta com apresentações artístico/culturais durante todo o ano, além de diversos eventos.

A vila fica localizada no bairro do Belenzinho, perto do AME Maria Zélia e da Avenida Celso Garcia/Brás. É um local super escondido, mas acessível para quem vai de carro ou transporte público. Eu particularmente gosto muito de conhecer e visitar lugares antigos, tanto pela bagagem histórico/cultural, tanto por gosto pessoal por arquiteturas de outras épocas, então essa vila foi uma feliz descoberta.

antigo armazém. Foto: VejaSP

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Banhos com ervas: o que é e como fazer

Hoje vou contar um pouco sobre como utilizar as ervas para banhos energéticos. Os banhos com ervas servem para retirar de nosso campo energético todo tipo de miasma, larva astral e energias negativas de qualquer tipo que porventura tenham grudado em nossa aura. Infelizmente estamos sujeitos a carregarmos conosco uma carga energética muito grande, vinda de todos os lados, seja em nossa casa, no trabalho ou em qualquer outro local. Eu vejo essas energias densas como flechas invisíveis que nos atacam o tempo todo. Os banhos energéticos não só banem essas energias densas, como nos protege e deixa nosso campo energético mais fortalecido contra esses tipos de ataques. 



Há várias maneiras de fazer os banhos, bem como formas de tomá-los. Algumas ervas, que são chamadas ervas quentes, como arruda e guiné, por exemplo, não são recomendadas para banhos da cabeça para baixo, somente do pescoço para baixo, pois esse tipo de erva quente pode ferir nosso chakra coronário, que fica no alto da cabeça. 

Os banhos podem ser feitos para qualquer fim, mas lembre-se de que como são banhos energéticos, é aconselhável que eles sejam rezados antes. Não precisa ser nada específico, mas enquanto você tiver preparando seu banho, se concentre, mentalize, tenha atenção plena, peça o que você precisa (a finalidade do banho) e agradeça pela oportunidade. Lembre-se que você está trabalhando com energias. 

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Introdução ao Herbarium: a magia das ervas

Hoje começo um novo assunto que há tempos tenho vontade de escrever: ervas e suas propriedades mágicas. Quando pensamos em ervas no sentido religioso, logo nos lembramos de nossas avós e benzedeiras, que sempre tinham um galhinho de arruda para alguma reza. Eu me lembro de que quando era pequena sempre ia em benzedeiras porque minha mãe me levava, mas não entendia o sentido real daquilo: bater ervas sussurrando palavras. 

As ervas sempre foram utilizadas por povos antigos (em sua grande maioria, os pagãos), e seu uso vai muito além de um costume que foi passado de geração em geração por nossas avós. Os povos celtas, por exemplo,  tinham o costume de usar ervas para diversos fins (costume que foi depois condenado com a chegada do cristianismo, como bruxaria), e é por isso que muitas religiões neopagãs ainda trabalham com as ervas em rituais, banhos, defumações, etc. As chamadas "bruxas" na época da Inquisição eram apenas mulheres que também possuíam conhecimentos medicinais quanto ao uso das ervas, coisa que era considerada uma heresia porque tirava, de certa forma, o poder da Igreja, já que era inaceitável formas de cura que não viessem diretamente de Deus (como se as ervas pudessem existir sem uma mãozinha divina). Algumas religiões afro-brasileiras, como a Umbanda, também utiliza as ervas em seus ritos. O Xamanismo também é muito famoso por utilizar ervas, muitas vezes como forma de expansão da mente para atingir níveis mais elevados de consciência.