sábado, 2 de maio de 2020

Resenha série "Knightfall" - Templários

A Ordem dos Cavaleiros Templários sempre foi algo que me despertou interesse e curiosidade, seja por pertencer à Igreja medieval, seja pelas histórias envolvendo o Santo Graal, seja pelas superstições e lendas envolvendo o ocultismo. Por conta disso, tudo o que é relacionado à esses guerreiros medievais me atrai.

Dito isso, hoje eu vou contar um pouco sobre o que achei da série "Knightfall" (Templários, em português). Produzida pelo canal History, a série de ficção histórica estreou em 2018 e conta atualmente com duas temporadas, e, como o nome sugere, é baseada na história desses monges guerreiros.




A história de Knightfall se passa em Paris, na França, por volta do ano 1306. Na primeira temporada, a trama gira em torno da recuperação do Santo Graal que, na série, é descrito como um cálice que inicialmente havia sido perdido e depois encontrado e escondido por um mestre da Ordem que acabou assassinado. Porém, no meio dessa busca, entrando na parte ficcional da série, surge o romance entre a rainha Joana I, esposa do Rei Filipe IV, o Belo, e  Landry de Lauzon, mestre templário e um dos melhores amigos e homens de confiança do rei (imaginaram como o rei ficou putasso quando descobriu a traição?!). Já a segunda temporada é baseada na caça aos Templários pelo rei Filipe, tudo por conta da descoberta da traição, e da prisão dos Cavaleiros.


A Ordem dos Cavaleiros Templários - um resumão

A Ordem dos Cavaleiros Templários foi fundada em 1118, pelo cavaleiro francês Hugo de Payens, junto com oito companheiros e o rei francês Balduíno II, após as Cruzadas, com o objetivo de propagar a fé cristã e defendê-la, retomando as terras de Jerusalém dos muçulmanos (usando a força, se fosse necessário) e proteger os fiéis que iam até Jerusalém de ataques e dos muçulmanos. 

O rei Balduíno II deu aos Cavaleiros como residência parte do que ele julgava ser o Templo de Salomão, e é dai que surge o nome Templários. Depois de aprovada pelo papa Honório em 1128, a ordem ganhou força e tornou-se poderosa, crescendo rapidamente.

Seu número de membros também cresceu significativamente. O crescimento rápido da ordem foi devido à vinculação direta à Igreja Católica, muito poderosa na época, e de sua força militar. Além de religiosos, os cavaleiros eram ótimos guerreiros. A influência da ordem foi tão grande que em 1139 o papa Inocêncio II assinou um documento onde declarou que os Cavaleiros Templários não obedeciam a nenhuma ordem do estado, somente ao Papa. 

A ordem foi acumulando bens e riquezas ao longo dos anos (os Templários não pagavam impostos e, quando transportavam dinheiro para algum local ou cidade diferente - muitos nobres confiavam essa tarefa aos guerreiros - cobravam uma pequena quantia como pagamento) e, talvez por isso,  muitos conspiraram para que a ordem tivesse um fim, como o Rei Filipe IV, O Belo. Ainda não se sabe exatamente o motivo de Filipe ter planejado destruir a Ordem; o mais provável é que o rei era um grande devedor ou estava de olho nas riquezas dos Templários. Por conta disso, ele é apontado como o responsável por disseminar a ideia de que os Templários eram hereges. 

Na manhã do dia 13 de agosto de 1307,  uma sexta-feira (muitos acreditam que a origem dos azares da sexta-feira 13 vêm dessa data), todos os Templários foram acusados de heresia por Filipe, e suas prisões foram decretadas. Dentre as acusações, estava negar Cristo ao serem admitidos na Ordem, chutar a cruz, trocar beijos obscenos, praticar sodomia e ter relações homossexuais entre os membros, além de cultuar Baphomet (uma criatura simbólica presente no ocultismo) e adorar o Diabo em seus rituais secretos (os rituais de iniciação dos Templários eram ultra secretos, o que causou muita especulação sobre o que havia nesses ritos). Lembrando que, na Idade Média, com a força da Igreja Católica de manipular a cabeça das pessoas, havia muita tensão e medo da figura do Diabo, e quase qualquer coisa era motivo para acusações de heresia. 

O Papa Clemente V, ao saber da prisão decretada pelo rei, emitiu uma bula papal em 22 de novembro de 1307 e decretou que os Templários fossem presos e suas propriedades confiscadas pela Igreja. O mais provável é que o Papa tenha feito isso para não ter sua autoridade reduzida, visto que a Ordem dos Templários obedecia somente a ele e, também, para não bater de frente com o rei Filipe. Por conta disso, Clemente V passou a ser considerado fraco e manipulável. 

Os julgamentos dos Templários duraram anos, e muitos deles morreram sob tortura. Um dos últimos a ir para a fogueira foi o grão mestre, Jacques de Molay, em 18 de março de 1314. A ordem foi dissolvida em 22 de março de 1312, através da bula Vox Clamantis, emitida pelo papa Clemente V. 



O que eu achei da série?

ATENÇÃO: Contém spoilers!

Eu, quando procuro alguma série desse gênero para assistir, é porque quero, ao assisti-la, voltar no tempo, para uma época a qual, não sei porque, eu me identifico. Acho que é por isso que gosto tanto de séries desse tipo. Knightfall realmente me fez voltar na França de 1300 e esquecer que eu estava deitada na minha cama no século XXI assistindo TV. Mesmo com baixo orçamento, eu gostei bastante e não lembro de algo que me desagradou ou que me fizesse perder o interesse e parar de assistir. 

Knightfall é uma série fictícia baseada em alguns acontecimentos históricos. A abertura do primeiro capítulo contém um trecho escrito explicando ao espectador justamente isso:

"Embora personagens desta história se baseiem em figuras históricas e acontecimentos reais, Knightfall é uma versão fictícia da Ordem do Templo de Salomão, conhecida como Cavaleiros Templários"

Papa Bonifácio e a Ordem dos Templários

Como toda série histórica, essa retrata algumas coisas bem interessantes para quem quer conhecer um pouco melhor esses guerreiros medievais. Porém, apesar da série se basear em alguns fatos e personagens históricos (como os próprios Templários, os papas Clemente V e Bonifácio e o rei Filipe, o Belo), ela também mistura MUITA ficção à realidade. Por conta disso, algumas coisas podem confundir os espectadores, principalmente os que não conhecem a história dos Cavaleiros, como alguns fatos que listo a seguir:

Fatos fictícios:

- Na série, o Rei Filipe, o Belo, passa a odiar a Ordem após descobrir que sua esposa, a rainha Joana I tem um romance secreto com o Templário Landry de Lauzon (um dos personagens principais). Dessa maneira, ele planeja destruir a Ordem de todas as formas possíveis, inclusive conspirando com seu conselheiro, Guilherme de Nogaret (outro personagem histórico) e com um ex-membro da Ordem. Após descobrir a traição da rainha, o rei se torna uma pessoa amarga e cruel, com o único objetivo de destruir a ordem e, principalmente, Landry. Historicamente, como dito anteriormente, o rei realmente decreta a prisão dos Templários, mas o motivo é desconhecido e não teve nada a ver com sua esposa.

Landry e a rainha Joana I

Rei Filipe IV, o Belo, e rainha Joana I

- Guilherme de Nogaret, o conselheiro do rei, mata o papa Bonifácio, com o consentimento de Filipe, e Filipe conspira para colocar o padre francês Bertrand de Gouth no papado, tornando-se o papa Clemente V. Na série, Clemente V se une à Filipe para, juntos, acusarem os Templários de heresia. A história real é que o rei Filipe conspirou e usou de sua influência para transformar Bertrand em papa. Mas, ao contrário do que é retratado na série, quando Filipe se une ao papa com o único objetivo de destruir os Templários, o interesse real de Filipe era de que o papa Clemente retirasse a excomunhão da família real francesa (essa excomunhão foi feita pelo papa anterior, Bento XI). Outro fato: o papa anterior à Clemente V foi Bento XI, e não Bonifácio, como é retratado na série. Além disso, o assassinato do papa Bonifácio é ficcional.

O conselheiro do rei, Guilherme de Nogaret, e o rei Filipe IV, o Belo

- No final da segunda temporada, o rei Filipe é morto por Landry, como forma de vingar a morte da rainha. Na história original, a morte de Filipe ainda é incerta. Sabe-se que ele foi à uma caçada; existem duas teorias possíveis: a primeira é de que ele foi atacado por um javali, e a segunda é a de que ele estava caçando um cervo e, nos chifres do cervo, avistou uma cruz, caiu do cavalo em delírio e morreu dias depois. 

- O grão mestre Jacques de Molay se entrega voluntariamente ao papa Clemente V e ao rei Filipe, quando estes atacam um dos templos onde estão os Templários, para ser ouvido, de modo que as acusações de heresia que pesavam sobre os Templários finalmente chegassem ao fim. A história real é de que foi Molay quem procurou o papa para esclarecer os fatos. O grão mestre insistiu para que o papa abrisse uma investigação para esclarecimento das acusações.

Fatos verídicos: 

- A iniciação templária que a série mostra era basicamente daquele jeito. Além disso, os monges deveriam fazer votos de pobreza e castidade. 

- O grão mestre Jacques de Molay realmente foi queimado na fogueira em 18 de março de 1314. Diz a lenda que, em meio às chamas, ele amaldiçoou o papa Clemente V, o Rei Filipe IV e Guilherme de Nogaret, dizendo que em breve os veria em um julgamento justo. Disse que, se os Templários tivessem sido injustamente condenados, o Papa Clemente seria convocado em 40 dias e o rei Filipe e Nogaret em no máximo um ano, para o julgamento de Deus. De fato os três morreram no tempo previsto. 

- Na série, o Santo Graal é representado como um cálice. Na verdade, historicamente, ainda não se sabe o que é o tão famoso Santo Graal. Alguns dizem que realmente pode ser um cálice (mas essa ideia também veio a partir do quadro de Leonardo da Vinci, "A Última Ceia", onde, na mesa, perto de Jesus, está um cálice, e também de um mito celta, uma vasilha mágica), o Santo Sudário ou até mesmo a linhagem sagrada de Jesus, onde Jesus teria se envolvido com Maria Madalena e ela teria engravidado (o filme O Código da Vinci, apesar de bem criticado nos meios religiosos, conta um pouco dessa história). Considerei o cálice como um fato histórico e não ficcional. 

- Guilherme de Nogaret realmente teve um papel importante na prisão dos Cavaleiros Templários. Foi ele quem cuidou pessoalmente do processo de prisão e da execução de Jacques de Molay e dos principais Templários em 1314.

- Os cavaleiros realmente foram presos em uma sexta-feira 13, acusados de heresia. Nos capítulos finais da segunda temporada, são mostradas algumas formas de tortura que fizeram parte da Inquisição e que, historicamente, os Templários sofreram quando foram presos, para que confessassem as coisas pelas quais estavam sendo acusados. Uma das formas mostradas foi a Dama de Ferro, uma espécie de sarcófago com lanças dentro onde a pessoa era colocada, de forma que as lanças perfurassem o corpo da vítima, mas sem ferir os órgãos vitais, levando à morte geralmente por asfixia pelo sangue ou pela perda de sangue. Cruel!! 

Dama de Ferro

Como eu já conhecia a história dos Templários (mas pesquisei novamente porque algumas coisas eu tinha esquecido), consegui distinguir o que era fato e o que era ficção na série. Porém, para quem não conhece a história verdadeira, ou conhece só o básico, pode confundir bastante coisa, mesmo ficando claro, desde o início, que Knightfall é uma série de ficção histórica. Achei interessante eles criarem uma história ficcional a partir de fatos históricos, o que serviu como um bom entretenimento medieval, porém acredito que uma série que retrate realmente os acontecimentos verdadeiros também seria bacana. Penso que quiseram criar um enredo fictício para a trama ter melhor aceitação do público, o que, pra mim, não foi de todo ruim. Só fica o aviso para os mais leigos no assunto não confundirem os fatos. 

Uma coisa que eu achei bem legal é que acontecem várias reviravoltas na série. Personagens queridos morrem (bem ao estilo Game of Thrones mesmo) e não há um 'felizes para sempre' ou algo que a gente imagina que vá acontecer. Quase todos os capítulos são imprevisíveis e cheios de ação. 



Por que você deveria assistir?

Eu sou uma pessoa que adora séries medievais/históricas, e tô sempre escrevendo e indicando as que eu assisti aqui. Esse foi o principal motivo que me levou a assistir Knightfall, além de, claro, conhecer mais alguns detalhes históricos que eu eventualmente não soubesse. Porém, quando comecei a assistir percebi que eu não aprenderia muito com a série, visto que grande parte da história era ficção. Mas isso não me impediu de assistir um capítulo na sequência do outro porque a trama ia se tornando empolgante a partir do desenrolar dela. 

Acredito que quem gosta de séries históricas/medievais, mesmo que não se baseiem em acontecimentos reais, pode gostar de Knightfall. A ambientação é muito boa, na minha opinião, apesar do baixo orçamento, e não perde em nada para séries do gênero. 

A série encontra-se disponível na Netflix. A segunda temporada terminou com um gancho para a continuação, porém a produtora, o canal History, ainda não confirmou se haverá uma terceira.  Abaixo, deixo o trailer da primeira e segunda temporadas.

                                       


                                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário